03 abril 2014

ELEIÇÃO SUPLEMENTAR EM MOSSORÓ: PSB E PMDB OFICIALIZARÃO ALIANÇA EM MOSSORÓ NESTA SEXTA-FEIRA.

A convenção que homologará a chapa PSB/PMDB à Prefeitura de Mossoró na eleição suplementar será realizada nesta sexta-feira, 4, às 14h, no Kiko’s Eventos, Rua João da Escóssia, Bairro Nova Betânia. 
 
O ato reunirá dirigentes do PSB, PMDB e demais partidos que comporão a aliança, além de deputados estaduais e lideranças de municípios da região.

A eleição suplementar em Mossoró está prevista para acontecer no dia 4 de maio, conforme a resolução 03, de 25 de fevereiro de 2014, do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RN), que determinou o novo pleito após confirmar cassações da prefeita afastada Cláudia Regina (DEM). A disputa também está confirmada no portal na internet do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A homologação da chapa PSB/PMDB será feita a dois dias do término do prazo para convenções. Os partidos têm até domingo (6) para oficializar candidatos a prefeito e vice-prefeito, que deverão requerer registro à Justiça Eleitoral até 11 de abril. Um dia depois (dia 12) começará a campanha de rua, com comícios e propaganda eleitoral, até 1º de maio.

A resolução do TRE estabelece ainda o prazo entre 24 de abril e 1º de maio para horário eleitoral gratuito em rádio e TV; prestação de contas de candidatos e partidos até 14 de maio e diplomação dos eleitos até o dia 31 de maio. 
 
Votarão no pleito suplementar os eleitores que tenham requerido inscrição até o dia 4 de dezembro do ano passado.
 
 

2 comentários:

Julio Rosado Filho disse...

Fila Indiana

Convocados a realizar o cadastramento biométrico
fomos todos, em profusão, ao egrégio tribunal
afastando o fantasma assombradoramente tétrico
de uma eleição que não obtém coeficiente eleitoral

Ao lado do Fórum Regional, dava gosto de ver
tal qual uma grande serpente, poderosa e esguia
se ajuntando, freneticamente, desde o alvorecer
contida multidão despertando de sua letargia

Margeando toda a lateral do prédio central
caminhamos ao lado da nossa comunidade
numa marcha que não é considerada normal
construindo os alicerces de nova sociedade

Foi um espetáculo de civilidade à brasileira
Com paciência, todos aguardavam sua vez
Num tributo verdadeiro a nossa linda bandeira,
praticando amor e ordem, o progresso se fez

Centenas de personagens de nossa cena urbana
pessoas diferentes em raça, credo, cor e ideologia
Rico, opulento, miserável, de pobreza franciscana
Fizeram valer a transformadora força da democracia

Houve histórico encontro de partidos adversários
se apoiando mutuamente e evitando contenda
todos demonstrando ser mais do que solidários
sem fazer proselitismo em favor de sua legenda

Teve gente que buscava garantir seu sustento
vendendo agua, picolé, sacolé e refrigerante
mas, generoso, abriu mão de seu rendimento
partilhando o produto com a idosa e a gestante

Na fila indiana teve, de tudo, um pouco
desempregado e gente de toda profissão,
teve o culto que, de tanto falar, ficou rouco
e indiferente que saiu pleno de convicção

Teve Itamar que, no meio da rua, apregoava
em grego fluente, sua justificada frustração,
discursando, assim como quem conversava,
para uma platéia que aplaudia sua erudição

O ser que tem a capacidade de se conformar
com pouco de direito e muito de obrigação
também está apto a, provocado, se rebelar
contra aquele que sempre lhe faz exploração

Afinal, participamos da mesma comunidade
e nela comungamos os frutos de nossa opção
competindo, a cada um, a responsabilidade
de escolher por merecimento, sem alienação

É importante observar que o voto universal
se torna arma na mão do eleitor esclarecido
municiado para provocar enorme dano letal
a qualquer camarilha de político corrompido

O título é um passaporte para a cidadania
sem deter a exclusividade como solução
sendo necessário se engajar no dia a dia
pensando no coletivo ao tomar a decisão

Embora despercebidamente, sem tal intenção
a presença popular assusta a mente tirana
que receia o desprezo, tanto quanto a reação,
de um povo obrigado a votar em fila indiana
Julio Rosado Filho

Herbert Mota disse...

Meu caro Julio, esta é mais uma tarifa que se paga para vivermos numa democracia. Infelizmente tive que me submeter a esse sacrifício que ao fim e ao cabo valeu a pena. Afinal, ainda não inventaram uma forma ou sistema de governo que tenha sobrevivido o bastante para suplantar a DEMOCRACIA.