25 setembro 2012

'POBRE' RIO GRANDE DO NORTE...

FISCO PARADO NO DIA DO AUDITOR FISCAL


Histórico. Assim podemos resumir a passagem pelo dia do Auditor Fiscal no RN, no dia 21 de setembro de 2012.

Realizando uma paralisação de advertência de 24 horas, mais de 300 auditores fiscais compareceram à mobilização da categoria no centro administrativo do Estado, para protestar contra o sucateamento da Secretaria da Tributação, bem como pelo falta de atendimento pelo Governo dos direitos e pleitos da classe.

Segundo o Presidente em exercício do SINDIFERN, Pedro Lopes, a movimentação de ontem atendeu as expectativas da Diretoria: "Os colegas compreenderam o atual momento pelo qual a categoria atravessa e compareceram em massa ao centro administrativo. Foram 17 reuniões, em 20 meses, com o Governo em busca de uma solução para as demandas, mas nenhuma resolução foi tomada. A categoria chegou no limite da paciência".

Após a concentração em frente à Secretaria da Tributação, os auditores fiscais se dirigiram para a Governadoria. A Diretoria do SINDIFERN e da ASFARN protocolaram a PAUTA DE REIVINDICAÇÃO da categoria no Gabinete Civil do Estado.

O diretor do Sindifern, Edilson Júnior, ressalta que o Governo deve compreender que investir na Tributação e nos seus servidores, é investir no aumento das receitas do Estado: "O fisco estadual tem cumprido com louvor a sua missão de arrecadar os tributos estaduais, sempre superando as metas de arrecadação. E podemos fazer muito mais! No entanto, o governo tem que fazer a contrapartida, cumprindo direitos da categoria e investindo mais na parte estrutural(carros, informática, postos fiscais), além capacitação e treinamentos".

ASSEMBLEIA GERAL DEFINE PRÓXIMOS PASSOS

Após a mobilização de sucesso no centro administrativo, os Auditores Fiscais realizaram uma assembleia geral para deliberar sobre os próximos rumos do movimento.

Após os debates, que foram unânimes em avaliar como sucesso a paralisação e mobilização do dia, a categoria aprovou a realização de uma nova paralisação, desta vez, de 48 horas, a ser realizada nos dias 1º e 2 de outubro, caso não haja resposta satisfativa do Governo às reivindicações da classe.

"Demonstramos união, força e disposição na luta por nossos direitos e por melhores condições de trabalho. Há mais de 15 anos o fisco do RN não parava. Estamos abertos ao diálogo e esperando a retomada da mesa de negociação, mas que esta seja com efetividade e resolução. Se o Governo reclama da queda da arrecadação do FPE (Fundo de Participação dos Estados), deveria investir na SET e nos Auditores Fiscais como forma de alavancar, ainda mais, a arrecadação do ICMS, para compensar as perdas ocorridas", finaliza Pedro Lopes.


Com informações do sindifern 

Nenhum comentário: