13 julho 2012

ARTIGO DA SEMANA.


O PRESIDENTE E O FUSQUINHA
(Por Rubens Coelho – jornalista - rubensfcoelho@hotmail.com)

Uma matéria publicada no blog do jornalista gaucho, Mario Marcos de Souza, sobre José Mujica, presidente do Uruguai, nos chamou a atenção, nela é mostrado  como vive o presidente “mais pobre do mundo”, na consideração do jornal espanhol El mundo.

De fato, é fantástico a simplicidade, o desprendimento do chefe do governo uruguaio.  Em seus contatos o jornalista relata que José Mujica, todos os dias embarca em seu fusquinha azul de estimação, de 1.300 cilindradas e toma o rumo de seu pequeno sítio Rincón Del Cerro, nos arredores de Montevidéu, onde vive com a mulher, senadora da República – que é proprietária da área. A casa é discretamente vigiada por dois seguranças.

No fim do mês quando recebe o salário de 12,5 mil dólares como presidente do Uruguai, José “Pepe” Mujica, separa 1,25 mil (para si) e doa o restante, cerca de 90% a pequenas empresas e Organizações Não Governamentais que trabalham com habitações populares.

- Este dinheiro me basta, e tem que bastar porque há outros uruguaios que vivem com menos.

Além de sua casa no pequeno sítio, seu único patrimônio é o fusca avaliado em pouco mais de mil dólares.

Como transporte oficial em vez de carrões com ar-condicionado dos demais presidentes, ele usa um Corsa. Sua mulher, a senadora Lúcia Topolansky, parceira de muitos anos, também doa boa parte de seu salário.

Em maio passado, o presidente ordenou que uma moradora de rua e seu filho fossem instalados na residência presidencial, que ele não ocupa por seguir morando no sítio. Ela só saiu de lá quando surgiu vaga em uma instituição de amparo aos sem teto.

O presidente uruguaio é um exemplar raríssimo de homem público que não se arroga do poder com soberba  e utilização dos benefícios que o cargo lhes confere. Sua postura de humildade e decência, tem gerado admiração e respeito em todo mundo e, certamente, motivação de orgulho para seus compatriotas que o vê como modelo não só de governante, mas, de um  cidadão que,  em consideração ao povo, despreza os aparatos da função que exerce no poder.

O modo de viver e governar de José Mujica, causa até inveja a nós brasileiros, por registrarmos serem nossos mandatários, os presidentes, sem exceção, muito afeitos a ostentação. Até governadores de Estado, não é incomum andar a bordo de carrões blindados, se deslocando pelas cidades com batedores com sirenes abertas para exibirem publicamente sua autoridade e poder. A exacerbação do ritual dos cargos em nosso país é a regra.

Quem sabe, um dia tenhamos um José “Pepe” Mujica governando nosso País, tão carente de homens públicos recatados. A esperança é o alimento da alma.


Nenhum comentário: