23 abril 2012

POLÍCIA AMBIENTAL APREENDE INSTRUMENTOS E EQUIPAMENTOS DE SOM NA PRAÇA DE CONVIVÊNCIA.




Quem esteve na Praça de Convivência da Avenida Rio Branco, Mosoró, RN, na última sexta-feira (20), presenciou uma cena grotesca e deveras difícil de entender, notadamente, pela ampla liberdade decorrente de um estado democrático de direito que, vez ou outra, ela (a liberdade) é atropelada. 

É que, depois de muitos anos de execução do projeto cultural "Arte da Terra", idealizado, elaborado e executado sob os auspícios da Prefeitura de Mossoró, a Polícia Ambiental, Órgão do Governo do Estado e sediado em Mossoró, de repente passou a recolher os instrumentos (trombone, contra-baixo, surdo, bateria, etc.) dos artistas que ali se apresentavam, e, em seguida, caixas de som, pedestais, microfones... 

O soldado Barbosa (o da foto acima - web) estava irredutível e sempre dizia que no seu entendimento todos os instrumentos faziam parte da "ação danosa ao meio ambiente e por isso deveriam ser apreendidos," o que efetivamente aconteceu.
























Apesar das conversas e alegações do músicos e de Toinha Lopes (foto acima - web), coordenadora do projeto, ainda assim os agentes apreenderam todos os instrumentos deixando os músicos (profissionais que estavam ali cumprindo uma agenda de trabalho) e os cidadãos que ali se divertiam e apreciavam os artistas da terra, a ver navios, literalmente.

Não há como negar que a cena provocou uma espécie de revolta geral de todos que ali se encontravam!!! 

versão da Polícia Ambiental
Em contato telefônico que mantive com o comandante da Polícia Ambiental de Mossoró, Tenente Almeida, dele recebi a informação de que "o procedimento levado a efeito pelos agentes foi oriundo de uma denúncia de um morador das proximidades da "Praça de convivência", alegando que o som estava muito e estava a incomodar demais."

"Foi um procedimento de rotina. Aliás, esse é um procedimento que diariamente realizamos em Mossoró. No caso, a ligação do denunciante foi para o telefone 190 e, depois de anotada, passou-se à averiguação, como de praxe," disse o Tenente Almeida.

Instrumentos e equipamentos apreendidos
Relativamente aos instrumentos e equipamentos apreendidos na operação da Polícia Ambiental, o Tenente Almeida disse que no sábado (21) pela manhã quando foi contactado por pessoas ligadas à Prefeitura de Mossoró, disse que depois do procedimento a devolução dos instrumentos e equipamentos de som, passou a ser da competência do Judiciário.

NOTA: na versão do comandante da Polícia Ambiental, depois de denúncia de um morador, através do 190, verificou-se a prática um 'crime', embora de pequeno potencial lesivo, razão porque a ocorrência foi encaminhada para o Poder Judiciário (Juizado Especial). No entanto, o que causa espécie, salvo melhor juízo, é que depois de tantos anos de execução desse importante projeto cultural, aparece uma 'denúncia' de perturbação,e ne nhum diálogo foi aceito no memento. Estranho apenas o fato de a cantora Symara Tamara, que se apresentava no momento, e que tem como instrumento de trabalho a sua belíssima voz, não tenha sido 'presa'. Daqui, solidarizo-me com todos os artistas que tiveram os seus instrumentos de trabalho indevidamente apreendidos e com todos os cidadão que ali se encontravam e presenciaram o vexame.

Um comentário:

Rui Nascimento disse...

Na "terra da liberdade" é proibido cantar na praça praça da cultura. Pode? E viva a cultura! E viva a liberdade! Dá-lhe Mossoró da gente!
Era só o que faltava!