23 março 2012

ARTIGO DA SEMANA.

.
CONSIDERAÇÕES SOBRE SEU LIBÓRIO
(Por Rubens Coelho - jornalista - rubensfcoelho@hotmail.com)

Os leitores de artigos anteriores, já devem conhecer quem é seu Libório da Picada Um, pois, num deles, fiz uma pequena biografia desse cidadão que tanto admiro. Homem de seus oitenta e dois anos, sertanejo de boa cepa, nasceu, criou-se e vive até hoje na árdua labuta do campo. 

Agricultor por tradição, desde seus ancestrais, a roça foi o habitat familiar. Ele costuma dizer, que fora do campo seria como o peixe fora da d´água, não sobreviveria. Apesar das condições adversas, na época de sua infância, mesmo assim os pais, o patriarca Licurgo Travasso da Silva e dona Dasdores Travasso de Souza, não se descuidaram da educação dos filhos. 

A escola mais próxima onde moravam, estava a dez léguas de distância, que tinham que ir e voltar a pé ou em lombo de jumento todos os dias. Apesar das dificuldades, seu Libório concluiu o antigo quinto ano primário, como ele gosta de repetir; ”sem levar uma sequer palmatorada de dona Maroquinha, a professora severa, que não poupava o aluno que errasse no a,b,c ou na tabuada, nas contas de somar, dividir e multiplicar, não fizesse os deveres de casa.Se acontecesse tomava bolo até incharem as palmas das mãos. Não era brincadeira,diz. – Contudo nós gostávamos da velha mestra, ela ensinava bem.

Agradeço tudo que sei de leitura a ela. Ninguém saia da escola sem aprender e aprender bem, seu menino!...Hoje em dia vemos até doutor sem saber falar direito nem escrever. É a tal modernidade que faz o cabra analfabeto escolarizado,você num acha?

-Bem, de certa maneira o senhor tem razão, o nível da escola de base hoje em dia é péssimo. Em São Paulo, o estado mais desenvolvido do país, constatou-se que estudantes de escolas públicas, terminavam a oitava série sem saber escrever o próprio nome. Um absurdo, mas infelizmente é fato.

Nosso personagem é um homem inteligente, culto e sábio. Apesar de viver nas bibocas do sertão, é bem informado, politicamente consciente, capaz de deixar para trás,muitos letrados da cidade. Indagado sobre política, diz que apesar das mazelas que se tem noticiado todos os dias, há esperança de mudança, não por vontade dos políticos, mas pelo esclarecimento do povo que tenderá a crescer com a evolução dos meios de comunicação, diz. - Até em Mossoró? Perguntei. –Sim aqui também. Essa política de pião, girando em torno de um só ponto, está prestes a terminar. Os bons ventos estão soprando fortes no sentido das mudanças.

Os obstáculos que impedem o povo de se libertar do cabresto dominante que submete há tantas décadas, vão ser removidos – Será mesmo seu Libório?- Ora, meu compadre, nada é permanente debaixo do sol, já dizia o rei Salomão há mil anos a.C.( Eclesiaste 2.11). Então estamos chegando ao fim de uma era. Tenho certeza disso.

Ótimo seu Libório, torço que isso aconteça de verdade, se Deus quiser.

Nenhum comentário: