17 março 2010

- ARTIGO.

.
A CANDIDATURA DO PMDB
(Por Laire Rosado)

Muita conversa e muita expectativa. Não existe nenhuma posição definitiva nem afirmativa conclusiva. Os candidatos não poderão assumir definições sem observância da lei eleitoral. Essa realidade começa a ser entendida e estudada pelos que desejavam definir aleatoriamente as coligações e os apoios com os diferentes partidos. As atenções maiores estão voltadas para o senador Garibaldi Filho, que insistia em declarar seu apoio à senadora Rosalba Ciarlini como candidata à sucessão da governadora Wilma de Faria. Confia na opinião do ex-deutado Paulo de Tarso, seu consultor político. Acontece que nem nos tribunais superiores há unanimidade de opinião.

Durante muito tempo, antes mesmo da confirmação do seu próprio partido, o DEM, a candidatura de Rosalba foi sustentada pela força do senador Garibaldi Filho. Houve quem acreditasse que a força do senador era tão grande que forçaria o deputado Henrique Alves a rever sua posição, saindo da base aliada do governo e passandoa apoiar os candidatos oposicionistas. Com o passar do tempo a realidade foi se transformando e ontem, em sua coluna do Diário de Natal, a jornalista Flávia Urbana mostrava, em detalhes, que Henrique é quem está dando as cartas, com Garibaldi dependendo da ação política do primo para tocar sua reeleição e a do filho deputado Walter Alves.

Surpreendente mesmo foi a declaração de Garibaldi de que o PMDB poderia ter candidatura própria ao governo do Estado. Ressaltou que a hipótese era remotíssima, mas não havia necessidade dessa colocação. Quem seria o candidato do PMDB ao governo, se não o próprio deputado Henrique? Está claro que não existe essa hipótese nos planos de Henrique e, nesse caso, o senador Garibaldi poderia estar preparando sua retirada do terreno político oposicionista. Toda candidatura enfrenta dificuldades, alternadas com picos de otimismo. Até o momento, a candidatura de Rosalba não enfrentou grandes obstáculos. A saída de Garibaldi seria o grande acidente de percurso.

E os demais candidatos? Iberê não está apresentando índices de aceitação que preocupe a oposição. Acontece que assumirá o governo do Estado no final deste mês e poderá modificar o quadro, a começar pela maior exposição que terá na mídia. O ex-prefeito Carlos Eduardo também estará detonando sua campanha, para não perder a posição que mantém atualmente, segundo seus correligionários, de grande aceitação na Grande Natal. O que se diz hoje poderá ser diferente amanhã. Ou dentro de poucos minutos. O resultado de uma pesquisa eleitoral nos próximos 30 dias poderá ser bem diferente dos últimos resultados. Isso tudo, sem falar ainda na candidatura do PMDB.
.
.
.

Nenhum comentário: