18 fevereiro 2010

- A TERCEIRA VIA.

.
Com dois nomes já lançados para disputar o governo do RN (Rosalba Ciarlini - DEM e Iberê - PSB), a candidatura do ex-prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves, ao governo do estado, muda completamente a atual situação (mesmo no tabuleiro das especulações), do quadro da política potiguar. Tarimbado e com experiência de sobra, Carlos Eduardo Alves, não é de entrar em aventura e conhece de sobra aquele velho adágio: "macaco velho não mete a mão em cumbuca."
.
Carlos Eduardo tem na pessoa de Micarla de Souza, atual prefeita de Natal, o seu 'maior' cabo eleitoral: ela insiste em 'administrar' sem deixar de olhar para o retrovisor.
.
A candidatura de Carlos Eduardo deságua, na pior das hipóteses, em duas situações claras: dará reforço ao palanque da candidata do pálácio do planalto Dilma Rousse e, de quebra, levará a disputa para o segundo turno.
.
Diante desse quadro, pode-se dizer (com direito à discordância, lógico) que o presidente Lula vai jogar uma espécie de duplo nas eleições do Rio Grande do Norte.
.
.
.

4 comentários:

Anônimo disse...

Caro Herbet, mas como ficará a situaçao do senador Garibaldi, ja que Carlos Eduardo é seu primo e tem forte ligação com o PMDB?

Rui Nascimento disse...

Parece que as coisas não serão tão fáceis quanto "alguns" pensavam. É bom aquela "governadora voltar das férias", porque agora a campanha vai começar. Agora sim, 2010 chegou!

Herbert Mota disse...

Caro Rui, atento internauta, concordo contigo. Aliás, essa história de 'governador de férias' remete-nos para uma passagem não muito distante (2006), quando a atual governadora Vilma de Faria foi reeleita enfrentando Garibaldi Filho, então considerado 'governador de férias'

Rui Nascimento disse...

Sr. Herbert tenho feito alguns comentários em diversos Blogs, em todos tenho me referido a este fato usando a seguinte frase: "já vi esse filme antes". E olhe que a própria "governadora de férias" foi, digamos, vítima desse "já ganhou" antecipado, por coincidência, na mesma eleição (2006). Afinal quem não se lembra do todo poderoso ex-ministro, ex- pres. da CNI, ex-senador e grande empresário Fernando Bezerra, que seria facilmente eleito desprezando, inclusive, os votos de Mossoró? Será que os "marqueteiros de plantão" já esqueceram desse pequeno detalhe?