14 outubro 2009

- REFORMA AGRÁRIA: ASSENTAMENTOS NÃO GERAM 'RENDA'

.
O Governo Lula financia o MST. Esta realidade, mesmo negada de forma veemente pelo governo federal, torna-se cada vez mais palmar e mostra, às claras, que o sistema de reforma agrária adotado pelo atual governo necessita de mudanças.
.
Pesquisa feita pelo Ibope nos maiores assentamentos de reforma agrária do país revela que 72,3% deles não geram renda. Na sondagem realizada no último mês de setembro, encomendada pela CNA (Confederação Nacional da Agricultura), e cujos dados colhidos em assentamemtos de todo o país com mais de 15 anos (emancipados), chegou-se aos seguintes númeeros:
.
- 37% das propriedades não produzem nada;
- 10,7% não produzem nem o suficiente para a família;
- 24,6% produzem apenas o suficiente para o consumo da família;
- 27,7% produzem o suficiente para a familia e excedente para a venda
.
Outros dados:
- metade da renda dos assentados (49%) vem de atividades que não estão associadas à exploração da terra.
- 37% das famílias assentadas sobrevivem com apenas um salário mínimo por mês.
- 60% é composta de terceiros, ou seja, pessoas diferentes daquelas que se beneficiaram do programa.
.
Mas, o que disseram, informaram ou admitiram os entrevistados?
.
- 5% disseram que receberam as terras do pai ou da mãe;
- 3% informaram ter recebido as terras de outro parente;
- 6% admitiram que o beneficiário era outra pessoa;
- 46% informaram que compraram a terra de outra pessoa. Esse percentual sobre para 75% no estado do Pará.
(Dados: Folha)
.
NOTA: se a situação dos assentamentos considerados 'emancipados' é tão cruel, imagine-se a realidade vivida pelos mais recentemente implantados. Por outro lado, se a grande maioria dos que recebem terras, conforme os dados da pesquisa, não tem vínculo algum com a agricultura, talvez resida exatamente ai a questão para o 'insucesso' do atual sistema de reforma agrária. Recentemente, o Ministro da Agricultura, Gulherme Cassel, estribando-se nos dados do último senso agropecuário do IBGE, alardeou o estado de pujança da agricultura familiar colocando-a acima do agro-negócio. Entretanto, o minisgro cuidou de esconder uma verdade: os dados do IBGE incluem apenas pequenas e médias propriedades que não integram o programa de reforma agrária.
.
.
.
.

Nenhum comentário: