06 maio 2008

- VIRADA DE MESA.

Nesses tempos de parcos atos de honestidade por parte dos nosso bravios "políticos", uma notícia de Brasília, na pior das hipóteses, alentadora: trata-se de uma proposta do Senador Pedro Simon (PMDB-RS), visando pôr uma espécie de freio nas insensatas candidaturas postas à prova dos eleitores nas eleições municipais deste ano. Fato é que, se os senadores tiverem boa vontade e interesse, podem aprovar, na reunião desta quarta-feira, portanto amanhã, da Comissão de Constituição e Justiça, Projeto de Lei que coloca uma verdadeira nesga de moralidade no processo político-eleitoral brasileiro.
Apresentado pelo senador Pedro Simon (PMDB-RS), o PLS 255/06 obriga os tribunais eleitorais a publicarem a relação dos candidatos que sofrem ou sofreram algum tipo de processo criminal ou faltaram com o decoro no exercício parlamentar. O relator da matéria, senador Jefferson Peres (PDT-AM), já deu seu parecer favorável.
Havendo dose extra de boa vontade, os parlamentares podem acelerar a tramitação nas comissões técnicas de um outro projeto, também do Senador Simon, o de nº 84/2008. A proposta do senador gaúcho decreta a inelegilibidade de todos os candidatos que são réus em processos judiciais.
Em verdade o nosso eleitorado tem-se sentido traído na sua confiança e tem demonstrado flagrantemente a vontade de mudança. A iniciativa do Senador Pedro Simon vem exatamente nesse sentido e, uma vez implantado, vai obrigar os tribunais a realizarem os julgamentos dos interessados em se candidatar a algum cargo. É diezr: se a lei exige idoneidade moral para preenchimento de qualquer cargo público, obviamente que nada mais justo, então, que se exija o mesmo daqueles que pretendem representar a sociedade no Congresso e nas demais casas legislativas. Totalmente com razão o grande Senador Pedro Simom.
- GERAIS -
MELLO - O primo do ex-presidente Collor de Mello deixou, na última segunda-feira, a presidência do TSE . . . já vai tarde.
CÂMARA - O terceiro round do embate Ministério Público X Câmara de Vereadores de Mossoró está pra começar...
EDIS - Por acordo das lideranças partidárias e sob as bênçãos do Palácio do Planalto, a PEC dos vereadores deverá mesmo entrar na pauta de votação. Se não houver modificação do texto (o que não creio), Mossoró ficará com 19 cadeiras no Legislativo Municipal. Os mais afoitos, por favor, anotem: 17 cadeiras para Mossoró.

Nenhum comentário: