17 maio 2008

- PAPANGU 51



Demorou, mas chegou! E para quem gosta de uma boa idéia, os papangus já estão com a nova edição, a de número 51, nas bancas de jornal e revista. Ainda sóbrios, destacamos na capa “O remo da pachorra” — a forma lenta e descompromissada de uma prefeitura em resolver pequenos problemas, o que deixa a população em polvorosa quando o problema é considerado grande.
No Artigo “A trágica neurose tecnológica da modernidade”, escrito pelo cientista social Francimar Barboza; “Ulisses e a Recessão Americana”, de Elias Epaminondas da Silva, em Crônica; no espaço reservado ao conto, a estréia no mundo das letras do professor e médico Francisco Edilson Leite Pinto, com “A peste lilás”.
O Troféu Papangu deste número vai para a autora do primeiro processo movido em desfavor da revista Papangu (esta que mais divulga a cultura potiguar além-fronteiras). Em Autores & Obras, Carlos Meireles comenta a obra “A Hora da Lua da Tarde, de Sanderson Negreiros”; Humberto Yashima apresenta um dos livros de maior sucesso, no momento, no eixo Rio-São Paulo, Pizzaria Brasil – Da abertura política à reeleição de Lula, do cartunista potiguar Cláudio de Oliveira.
Alexandro Gurgel esteve na cidade de Acari, considerada mais asseada do Brasil, passou por Gargalheiras e arrochou: “Acari, a vedete catingueira do Seridó”. Alexandro que assina também o Talento Potiguar trazendo o artista plástico Fábio di Ojuara. Ojuara que brada aos quatro cantos do mundo que “Toda merda agora é arte”— um projeto internacional de arte-correio e poema processo, criado por ele, que tem ressuscitado o conceito dadaísta aplicado à situação atual.
Clauder Arcanjo e David Leite entrevistaram para esta edição Saulo Ramos — o ex-caminhoneiro que com uma receita simples, a de “sempre correr atrás dos sonhos”, exerceu diversas funções públicas: oficial de gabinete do presidente Jânio Quadros, Consultor Geral da República e Ministro da Justiça.
Cefas Carvalho, Eliezer de Souza, Adélia Maria Woellner, Miriam Carrilho, Sanderson Negreiros, Ivan Junqueira e Clauder Arcanjo abrilhantam o espaço reservado à poesia.
E os papangunistas Antonio Capistrano, Cefas Carvalho, Yasmine Lemos, Túlio Ratto, Damião Nobre, Antonio Amâncio, Raildon Lucena e David Leite, com muita criatividade, seguem em busca incontinente de levar ao leitor da Papangu grandes idéias.

Nenhum comentário: