25 junho 2007

- REVISTA PAPANGU 41


Do grande Tullio Ratto, recebi a seguinte mensagem dando conta da Revista Papangú nº 41:
"Dando vivas à cultura potiguar
‘Olha O Papangu, meu amor, veja como ele está lindo...’ É em clima defesta que a revista Papangu, charmosa como sempre, começa a circular em todo o Rio Grande do Norte. E, para mostrar que nos preocupamos muito coma beleza, perguntamos na chamada de capa: ‘Quem é o gostosão daqui?’. Mas essa pergunta quem deve estar fazendo mesmo é o nosso deputado-garanhão Fábio Faria. O menino que já passeou nas páginas da Papangu como ‘Filhinho de papai’, cresceu e se transformou em um dos maiores namoradores da atual safra de parlamentares do Congresso Nacional. A bonitona da vez é, nada mais nada menos, do que a nossa apresentadora de TV-atriz-modelo Adriane Galisteu. Tem mais é que cantar alto ‘quem é o gostosão daqui?...’ Né não?
No Autores & Obras, o bibliófilo Meireles destaca ‘Histórias da Amazônia’, de Peregrino Júnior — que reúne as novelas de ‘Puçanga’ (1929), ‘Matupá’(1933) e ‘Histórias da Amazônia’ (1936, seleção de contos de ‘Puçanga’ e‘Matupá’, precedidas de três histórias ainda então inéditas), somadas auma nova narrativa ‘A mata submersa’. O potiguar Peregrino Júnior foimembro da Academia Brasileira de Letras, sendo saudado pelo poeta ManuelBandeira, falecido no Rio de Janeiro no ano de 1983.
Com fotos de Carlos José, Túlio Ratto entrevista o diretor de teatro JoãoMarcelino. Com participações em quase uma centena de espetáculos, tendo ganhado 22 prêmios nacionais e 01 internacional, João fala dos seussonhos, metas e, como não poderia ser diferente, sobre sua grande paixão,o teatro — ele que encerra um ciclo de cinco anos dirigindo o espetáculo‘Chuva de Bala no País de Mossoró’. Nessa entrevista, João Marcelino mostra de que é preciso mais que sensibilidade para ser um bom diretor, é preciso coragem.
Antonio Amâncio continua impagável, na seção Pei-bufo, com suas charges. Temos ainda a estréia do desenhista Jucelino Neco, que passa a colaborar com a nossa publicação a partir deste mês, com seu traço ‘underground’, retratando o nosso cotidiano. São duas páginas para a alegria dos amantesdos quadrinhos.
Para o nosso “Talento Potiguar”, Alexandro Gurgel subiu os morros doTirol, em Natal, para encontrar o jornalista Chrystian de Saboya. “Damemória dos relógios”, do escritor cearense Pedro Salgueiro, está no espaço dedicado à Crônica; o Conto do mês “Os lenços” é da escritora potiguar Eme Gomes.
No Especial, Maria Lúcia Barbosa Alves, mestra em literatura brasileira pela UFC e doutoranda em literatura comparada pelaUFRN, destaca “Ana Cristina Cesar, Cenas de uma vida”. Assina o Artigo deste número o professor Charles Bronson, que escreve sobre “Cangaço eMossoró: 80 anos da resistência e muitos anos de apropriação da História”.
Para o deleite dos leitores na seção Poemas, a sensibilidade de LiliaSouza, Kelson Oliveira, Batista de Lima, Luciano Maia, Cefas Carvalho, Paulo Bonfim, Zenaide Almeida Costa e Clauder Arcanjo. Nossos papangunistas Alexandro Gurgel, Antonio Capistrano, Raildon Lucena, Yasmine Lemos, Louro Dedé, Marco Túlio Cícero, Cefas Carvalho, David Leite, Túlio Ratto e Antonio Alvino continuam afinadíssimos expondo suas idéias e opiniões.
É muito conteúdo de uma lapada só, não acham? Por isso é que a família da revista mais lida do Estado, em tempos de festas juninas brada: — Viva o Papangu!"

Nenhum comentário: