18 novembro 2006

-ELEIÇÕES PARA A SUB-SECIONAL DE MOSSORÓ DA OAB-RN

Não há como negar que a polarização, em toda e qualquer campanha, é algo que tende a se consumar. E, no caso das eleições à Sub-secional da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional do Rio Grande do Norte, não haveria de ser diferente. Entretanto, faz-se imperioso atentar para alguns detalhes que, ao fim e ao cabo, são divisores preponderantes à uma decisão mais benéfica quanto processo evolutivo da instituição aglutinadora dos operadores do direito. No âmbito das eleições à Sub-secional de Mossoró, por exemplo, não há como negar o palmar antagonismo entre as propostas das duas chapas concorrentes. Se por um lado a chapa 02, encabeçada por Severino Moura, tem nas suas propostas a força de princípios norteadores do fortalecimento da instituição, principalmente por prever, sem prejuízo do fortalecimento da categoria, uma maior interatividade entre a instituição e a sociedade, representa, é certo, uma tenência clara da prevalência do coletivo sobre o individual; Já a chapa 01, encabeçada pelo advogado Humberto Fernandes, ao apresentar como uma de suas principais propostas, a "criação de um cadastro de violadores e prerrogativas", demonstra claramente, ao menos na minha ótica, uma visível tendência de distanciamento dos verdadeiros objetivos da instituição. Apenas para não deixar de citar, recentemente, A AJUFE-Associação dos Juízes Federais do Brasil, em nota oficial assinada pelo presidente Juiz Walter Nunes, manifestou repúdio à iniciativa das seccionais paulista e fluminense da Ordem dos Advogados do Brasil de criar cadastro de pessoas condenadas em processos internos, por violação de prerrogativas de advogados, e que estão impedidas de exercer a profissão. Na lista, que passou a ser engordada a partir de 2004, consta nomes de juízes, delegados, policiais, escrivães, vereadores e até mesmo jornalistas. Para o Juiz Walter Nunes, a iniciativa não tem a ver com o espírito democrático e a defesa de garantias constitucionais que sempre caracterizaram a OAB." (Herbert Mota)
DE PESQUISAS E PIADAS...
Conversando com um amigo advogado, ele me contou que recebeu uma ligação de um cidadão que disse pertencer a um determinado instituto de pesquisa e, em razão do seu mister, gostaria de fazer algumas perguntas sobre as eleições da Ordem dos Advogados do Brasil, Secional do Rio Grande do Norte, Sub-secional de Mossoró, no que teve a plena concordância do advogado.
-Em quem o senhor vota para presidente da Sub-secional de Mossoró?
-Em Severino Moura, Chapa 2.
-Quem o Sr. considera uma liderança entre os advogados de Mossoró?
-Tarcisio Jerônimo.
-E a nível de Estado, quem o Sr. considera uma liderança?
-Vilma de Faria.
Nesse momento o entrevistador faz um breve silêncio e diz: mas a D. Vilma de Faria não é advogada...
E o colega advogado rebatendo diz: pode até não ser, mas é ela quem escolhe Desembargador, Procurador . . .
É lógico que o entrevistado além de um excelente advogado, tem, também, um um grande senso de humor.
Nisso tudo, eu que nunca fui entrevistado, fico apenas com uma dúvida: será que neste caso, o entrevistador ao receber as respostas, e sabendo quem o contratou, marcou o entrevistado como eleitor de Severino Moura ou como indeciso?

Nenhum comentário: