02 abril 2013

MORTE DE CRIANÇAS EM MOSSORÓ: VERBA PARA UTI NÃO FOI USADA.

 
Em discurso na Assembleia Legislativa, nesta terça-feira, a deputada estadual Larissa Rosado (PSB) voltou a alertar para falhas na assistência médica a crianças em Mossoró, como a falta de UTI pediátrica na rede pública de saúde.

A parlamentar considerou inadmissível a morte de uma menina, quinta-feira (28), no Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM), por falta de Unidade de Terapia Intensiva, e de novo cobrou ao Estado instalação do serviço em Mossoró.

“Essa morte poderia ser evitada com a UTI pediátrica. Alocamos R$ 600 mil no Orçamento Estadual de 2012 com essa finalidade, requeremos a aplicação dos recursos, mas o Governo não fez sua parte e continua omisso”, lamentou.

As consequências, segundo Larissa, são crianças morrendo   e transferidas às pressas para Natal por falta de UTI, favorecendo mortalidade infantil em Mossoró, que tem a segunda maior taxa de óbitos de crianças do Estado.

Preocupante

“São quase 75 crianças mortas para cada grupo de 100 mil habitantes em Mossoró, segundo o IBGE, enquanto o número aceitável pela ONU é de até 20 crianças que morrem no universo de 100 mil habitantes”, adverte.

A deputada acionou a Comissão de Saúde da Assembleia para intermediar solução para falta de UTI pediátrica. “Não podemos deixar que uma cidade do porte de Mossoró não atenda as necessidades das suas crianças”, concluiu.
Imagem inline 1
          Deputada Larissa volta a cobrar UTI pediátrica em Mossoró (João Gilberto)
 
 
Com informações da Assessoria da Deputada Larissa Rosado

Nenhum comentário: