21 fevereiro 2013

UERN ESTÁ HÁ MAIS DE TRINTA ANOS SEM AVANÇO. AFIRMA DIRETOR DO CAMPUS DE PATU.


Passamos 30 anos sem avanço da pesquisa, no ensino e na graduação”. A frase é do professor doutor Jozenir Calixta de Medeiros (foto), diretor do campus da UERN em Patu, sobre a situação de abandono da instituição no município durante mais de três décadas. 
Embora esteja implantado numa região muito importante do Estado, o campus basicamente nunca recebeu atenção suficiente para ampliar a graduação e, sobretudo, a pesquisa.

Desde que foi fundado em abril de 1981, o campus funciona com três cursos de graduação: Ciências Contáveis, Matemática e Pedagogia e, somente no final do ano passado, graças a uma grande luta dos professores, foi conseguida a instalação do curso de Letras, embora a comunidade acadêmica quisesse mais. 
O campus é muito ocioso, mesmo tendo demanda, mas a metodologia de abertura de cursos nos campi avançados ainda é paternalista. Os cursos são abertos não onde há necessidade, mas na perspectiva de atender os anseios políticos”, reclama Jozenir Calixta.

O mais grave em Patu é a falta de perspectiva dos professores quanto à pós-graduação. “Pensar em pós-graduação ainda é um desafio, primeiro porque houve uma desatenção da administração para a capacitação docente, não há doutores suficientes em Patu, depois porque parece que as coisas só vêm para Patu quando sobram nas demais unidades”, desabafa o diretor.

AGENDA DE GILTON E LÚCIO

DIA 21/02 (QUINTA-FEIRA)

10h: Gravação de vídeo direcionado aos técnicos da UERN/DECOM

Tarde: Visita à FANAT

Noite: Visita à FACEM 
Com informações da Assessoria de Gilton e Lúcio

Nenhum comentário: