17 fevereiro 2012

JUIZ DA TERCEIRA VARA CRIMINAL DA COMARCA DE MOSSORÓ, RN, SENTENCIA RÉUS DA "OPERAÇÃO SAL GROSSO".

.
Deflagrada no mês de 2007 e comandada pelo Promotor de Justiça Eduardo Medeiros (foto), a "Operação Sal Grosso" desmantelou esquema de corrupção instalado na Câmara Municipal de Mossoró (CMM). 

Emitimos a nossa opinião neste espaço (veja aqui).

Naquela ocasião ocorreu a prisão do então presidente do legislativo, ex-vereador João Newton da Escóssia Júnior, que dias depois recebeu da Justiça o direito de responder ao processo em liberdade, a exemplo dos demais envolvidos.

Empréstimos consignados em nome dos acusados junto à Caixa Econômica Federal (CEF) e pagos pela Câmara Municipal; gastos com diárias pagas aos acusados sem comprovação; despesas realizadas sem licitação e uso irregular das verbas de gabinete, são alguns dos crimes apontados pelo Ministério Público.


O juiz da 3ª Vara Criminal de Mossoró, Cláudio Mendes Júnior, em sua sentença condenou pela prática dos crimes de peculato e corrupção passiva:
-João Newton da Escóssia Júnior-DEM - 6 anos e 4 meses;
-Aluízio Feitosa-PMDB - 5 anos e 4 meses;
-Ângelo Benjamim de de Oliveira Machado-PMDB - 5 anos e 4 meses;
-Claudionor Antônio dos Santos-PMDB - 5 anos e 4 meses;
-Daniel Gomes da Silva-PMDB - 5 anos e 4 meses;
-Gilvanda Peixoto Costa-DEM - 5 anos e 4 meses;
-Manoel Bezerra de Maria-DEM - 5 anos e 4 meses;
-Maria Izabel Araújo Montenegro-PMDB - 5 anos e 4 meses;
-Osnildo Morais de Lima-PSL - 5 anos e 4 meses.

Da decisão cabe recurso de apelação para o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte.

Foram inocentados: 
-Francisco Dantas da Rocha, o “Chico da Prefeitura” (DEM);
-Francisco José Lima Silveira Júnior (PSD);
-Renato Fernandes da Silva (PR).

Nenhum comentário: