06 junho 2011

ARTIGO.


.
PARTIDO VERDE DE NATAL USA TÁTICA STALINISTA PARA DESMORALIZAR MOVIMENTO PRÓ- IMPEACHMENT DA PREFEITA MICARLA DE SOUZA.
(Por Franklin Jorge - Jornalista)
.
Desesperada com o descrédito da sua gestão - considerada por quase 90% da população do municipio de Natal o maior desastre administrativo de que se tem noticia na história republicana do estado -, Micarla de Souza aderiu a uma velha tática dos regimes totalitários: o descrédito de seus opositores através de ações suspeitosamente planejadas com o intuito de provocar a indignação da sociedade e, através desse expediente, carrear a simpatia popular para o seu vitimismo insosso.
.
Natal já conhece essa tática manjada. Em 1982, quando da disputa entre o ex-governador Aluizio Alves (PMDB) e o atual senador José Agripino Maia (PDS), a cidade teve seus muros pichados com a frase “Jajá Miss Gay”, com a qual partidários do candidato da ditadura pretendia confundir a opinião pública e desacreditar a candidatura oposicionista. Na época, circulou em Natal que o autor da ideia teria sido o publicitário Nei Leandro de Castro, o criador do slogan “Essa vitória pra Já”… Quem não se lembra?
.
Inspirada pelo mau exemplo da ex-governadora Wilma de Faria, que sempre atribui seus fracassos á ação de adversários aos quais chama de “poderosos” e “caciques”- sem os quais jamais teriam, Wilma e Micarla, chegado ao poder -, a prefeita de Natal mostra, agora, a sua faceta de comediante, ao interpretar um papel que já deu o que tinha de dar - o de vitima dos caciques da politica, na tentativa de nos fazer acreditar que o movimento #Fora Micarla, gestado e executado pelos jovens de Natal seria o resultado de manipulações e instrumentalização de partidos, quando na verdade se trata de um autentico e legitimo movimento popular apartidário.
.
Posando de “vítima”, Micarla quer conquistar através de uma manobra escusa o apoio que lhe falta em decorrencia da péssima gestão chancelada pelo Partido Verde, que, em Natal, está consolidando a cada dia uma imagem negativa que o associa a práticas usuais numa cultura dominada pelo gangsterismo.
.
.

Nenhum comentário: