06 setembro 2010

PROBABILIDADE DE SEGUNDO TURNO DEIXA 'TROPA DE CHOQUE' DOS DEMOCRATAS COM OS 'NERVOS À FLOR DA PELE'.

.
Que as pesquisas eleitorais acerca das eleições deste ano vêm imprimindo uma influência bastante diferenciada dos pleitos anteriores, não há como abrigar dúvida alguma. Entretanto, no que se refere ao desejo dos democratas do Rio Grande do Norte de verem liquidada a fatura já no primeiro turno das eleições de 3 de outubro, não existe cristão que consiga mostrar-lhes uma única razão sobre a possibilidade do pleito ser decidido num segundo turno.

Hoje pela manhã, antes mesmo de ser divulgado o resultado da pesquisa realizada pelo Instituto Start, por encomenda do Jornal Correio da Tarde, um rosalbista vociferava que “as pesquisas de Walter Fonseca não tem credibilidade alguma.” De bate-pronto, indaguei: - por quê? E a resposta, em tom irritadíssimo, soou-me como fator de extrema preocupação: - “não houve pesquisa, foi ele mesmo quem fez”.

Nestes termos não há como sequer conversar. Sim porque os números divulgados pelas pesquisas dando conta da preferência do eleitor potiguar para o governo, independentemente de quem as realizou, apresentam resultados, ao meu ver, em perfeita consonância com a evolução do quadro, i. é., apresentam números que oscilam dentro da margem de erro, para mais ou para menos, em torno de três (3) pontos percentuais.

Se por um lado pode ser visto como perfeitamente normal o candidato governista apresentar visível crescimento na preferência do eleitor, não menos natural é o fato de a candidata oposicionista estar em declínio.

O ainda elevado número de eleitores indecisos, para esta fase da campanha, justifica perfeitamente as oscilações.
.
Nesse aspecto, o que existe de fato, até este momento da campanha, é um nítido favoritismo da candidata Rosalba Ciarlini e, em contrapartida, a possibilidade de a eleição ser decidida apenas num segundo turno.
.
.
.

Um comentário:

Anônimo disse...

Ninguém nega que Rosalba esteja em primeiro nas pesquisas. Mas, o resultado do Ibope é totalmente fora da realidade. Pois, depois de semanas de pesquisas dando uma seqüência de crescimento de Iberê e de estagnação da candidatura Rosalba, sem nenhum fato novo que comprometesse essa tendência, o Ibope e o Gama apareceram com uma pesquisa onde a candidata do DEM está com uma vantagem de 14 / 16 pontos com relação aos demais, é apelar para a ignorância dos eleitores norte-rio-grandenses.

Por isso, estamos vendo na mídia nacional vários questionamentos com relação às pesquisas do Ibope: na Paraíba, na Bahia, no Amapá e Roraima (aqui -http://politicapb.com.br/index.php?option=com_content&task=view&id=6524&Itemid=9999 ), por exemplo. Sem falar que o senador João Faustino, DEM do Rio Grande do Norte, também endossou o coro daqueles que questionam pesquisas do Ibope (http://www.robsonpiresxerife.com/blog/notas/joao-faustino-suplente-de-garibaldi-e-candidato-a-suplente-de-jose-agripino-questiona-resultado-do-ibope/).

Entretanto, os resultados da pesquisa Consult apenas reforçam os do Start. Ou seja, está claro que Iberê irá levar a eleição para o 2º turno.

O que endossa essa tese é número muito alto de indecisos na espontânea (é mais cristalizada e usada pelos especialistas como termômetro real), nesse caso em todas as pesquisas. Na Consult, por exemplo, é de 54,94%, no Gama é de 37,3%, no Ibope 41%. Isso mostra que há grande espaço para o crescimento de Iberê à medida que vai se tornando mais conhecido.

Conclusões:

- Rosalba tem um bom recall ( o eleitorado tem uma lembrança forte do seu nome, pois, desde a última eleição para governo que é candidata ao cargo). Dessa forma, é natural que ela leve vantagem nas pesquisas.

- Por outro lado, Iberê tem ao mesmo tempo em que se tornar conhecido conquistar votos. Lembre-se que a ex-governadora Vilma demorou muito para ter um candidato: primeiro, Robson Farias, João Maia e Carlos Eduardo até que, neste ano, aparecesse o nome de Iberê que, mesmo assim, ficou a dúvida devido ao fato do mesmo ter ficado doente.

- Outro fator que favorece ao crescimento da candidatura de Iberê e, consequentemente, a possibilidade de 2º turno é a boa avaliação do seu governo. De acordo com a última pesquisa Start/Fiern/CORREIO o Governo do Estado recebeu 74,5% de aprovação, até mesmo na pesquisa Ibope/Fiern o Governo teve a aprovação de 52% da população. Essa boa avaliação demonstra simpatia por parte do eleitorado.

- Pelas últimas pesquisas é possível perceber que está ocorrendo polarização entre Rosalba e Iberê. Pois, Carlos Eduardo tem tido praticamente o mesmo percentual, enquanto Iberê cresce e se distancia dele.

- Com a eleição polarizada a disputa em cada município será entre os principais grupos locais, ou seja, o prefeito e seus adversários. Com isso a eleição ganha ares de uma eleição municipal, favorecendo a Iberê que tende a conquistar os votos dos indecisos.

- O número de indecisos na espontânea é muito alto em todas as pesquisas, mesmo Rosalba sendo bastante conhecida. Isso mostra que esse eleitor não pretende votar nela (se quisesse já teria se decido).

- Esse número de indecisos pode significar uma grande mudança no quadro, haja vista que representa uma grande quantidade de votos que podem migrar para uma das candidaturas.

Quanto ao Senado:

- Para ficar com a 2ª vaga, as pesquisas demonstram que Vilma precisa basicamente da mesma quantidade de pontos que Iberê para ir para o segundo turno. Isso talvez signifique que o crescimento de Iberê levará Vilma para o Senado.

- Mas, desconfio que os Alves não queiram a vitória de Vilma. Pois, temem que a mesma se consolide como 3ª força no Estado. Por isso, eles têm um pé na campanha de Rosalba e outro na de Iberê.




João Silva