04 setembro 2008

- WEB-ENTREVISTA.

.
ENTREVISTA COM RENATO FERNANDES, VEREADOR E
CANDIDATO A PREFEITO DE MOSSORÓ, RN.

.

Renato Fernandes - Candidato a Prefeito de Mossoró.

Entrevista exclusiva do empresário Renato Fernandes (foto), atualmente vereador e candidato à chefia do Executivo Mossoroense, nas eleições de 5 de outubro de 2008, para esse pretenso blogDOherbertmota – concedida em 03/09/2008.
.
.H - Como o senhor, na condição de vereador, empresário e candidato a prefeito constitucional do município de Mossoró, analisa a gestão da prefeita Fafá Rosado à frente do Poder Executivo mossoroense?
.
R - A administração da Prefeita Fafá Rosado é baseada num modelo arcaico de gerenciamento. Esse modelo não traz resultados satisfatórios para o crescimento econômico do município, haja vista que o planejamento estratégico não está contemplado. Como vereador vejo que a prefeita Fafá não tem o devido compromisso com o legislativo, basicamente não respeitando a independência desse poder. Quando analiso a administração do ponto de vista empresarial, enxergo que falta apoio aos empreendedores locais ao contrário do que acontece com aqueles que vêm de fora, sendo notório todo o apoio de infra-estrutura. No geral a administração recebe uma grande maquiagem para que chegue a população do jeito que é apresentada, sem que apareçam os problemas da periferia e os desmandos administrativos.
.
H - No tocante à arrecadação mensal para os cofres públicos e a aplicação dos recursos, embora existam alguns setores que recebem uma atenção maior (como a saúde, por exemplo), como o senhor analisa a possibilidade de ser implementada a aplicação dos recursos de forma mais diversificada, de modo a abranger todos os ramos da Administração Pública do nosso município?
.
R - Primeiro, vamos cumprir a legislação, distribuindo os recursos de acordo com o que a lei direciona para cada pasta. Segundo, vamos eleger corretamente as prioridades, atendendo as demandas de cada área, bem como trabalhando para que os recursos alocados sejam realmente aplicados e que o reflexo do gerenciamento atinja o maior número de cidadãos. Ainda, quero trabalhar em parceria com os Conselhos, que nos ajudarão no planejamento e serão os responsáveis pela fiscalização da aplicação desses recursos.
.
H - Como o senhor vê a questão da poluição do rio Mossoró? Como o senhor pretende encarar essa questão caso assuma a chefia do Poder Executivo de nossa cidade a partir de 1 de janeiro de 2009?
.
R - A questão da despoluição do Rio Apodi-Mossoró é uma eterna discussão, ou seja, todos aqueles que um dia postularam o Palácio da Resistência colocaram em suas propostas a despoluição do rio. Nós vemos que a solução para esse manancial passa inicialmente pela implantação de programa sério de saneamento básico que contemple a periferia e seja dotado de estações de tratamento de esgoto – ETE, diferente do que vem sendo apresentado pelo poder público que não passa de um programa de esgotamento sanitário. Concomitante, precisaremos implantar um projeto de desassoreamento, que irá aprofundar a calha do rio e fazer a limpeza dos sedimentos contaminados; salienta-se que essa etapa serve, também, para se evitar os problemas das cheias que invadem os bairros localizados na planície de inundação do rio. Por fim, iremos desenvolver um projeto de urbanização para que possamos voltar à cidade para o rio, onde o ambiente seja dotado de equipamentos de lazer aproximando o cidadão dessa beleza natural, privilegiando a humanização desse espaço e fazendo com que ele cuide desse grande bem público.
.
H - Mossoró vive hoje um período de crescimento sem precedente. Isto é fato. A que o senhor atribui esta nova realidade da nossa urbe?
.
R - Não só Mossoró passa por um crescimento sem precedentes, mas a maioria das cidades de médio e grande porte, que foram impulsionadas pelo crescimento global e do nosso país. Na minha opinião, esse crescimento natural que Mossoró presencia, poderia ter sido potencializado se a administração municipal tivesse planejado e executado ações que incentivasse esse crescimento. Por exemplo, se tivesse sido feito o Plano Diretor do Distrito Industrial teríamos mais empresas se instalado nesse local e de forma ordenada, para que não ocorram choques de atividades, tais como refinarias de sal ao lado de indústrias de recapagem de pneus etc.
.
H - Como o senhor analisa os números das pesquisas recentemente divulgadas na imprensa do nosso Estado, que dão um índice acima de 45 pontos percentuais para a candidata Fafá Rosado na preferência do eleitor mossoroense?
.
R - É inconcebível que uma cidade do porte de Mossoró tenha hoje pouco mais de 10% de indecisos. Não queremos desacreditar das pesquisas divulgadas, mas temos em mãos uma pesquisa feita para consumo interno que revela números que indicam mais do que o dobro do percentual de indecisos daquelas publicadas. Além de mostrar que nossa coligação já recebe o reconhecimento, na pesquisa estimulada, do dobro do que foi divulgado. Sendo assim, precisamos analisar todas as nuances de uma pesquisa e não só os números.
.
H -. No que se refere à cobertura dos fatos político/administrativos da nossa cidade, como o senhor analisa o papel da nossa imprensa?
.
R - Sabemos o quanto é difícil fazer jornalismo numa cidade do interior do Nordeste, onde o maior anunciante são os poderes públicos (municipal e estadual). Mesmo assim, temos recebido da imprensa mossoroense um tratamento diferenciado baseado no respeito e amizade mútuos que conquistamos ao longo desses oito anos de vida pública em Mossoró.
.
H - Como o senhor analisa as novas regras eleitorais?
.
R - As regras eleitorais de certa forma se apresenta modernizada em alguns pontos, principalmente, naqueles onde existe a intenção de equidade entre os candidatos. Porém algumas delas chegam a tolher o direito do candidato a buscar o voto, prejudicando o direito a liberdade de expressão. Por isso concordo com o PCdoB que luta por uma reforma política justa.
.
H -. Como o senhor analisa as duas ações que pugnam pelo indeferimento da candidatura de Fafá Rosado, de autoria do Ministério Público e da coligação “Mossoró pra você” que dá lastro à candidatura de Larissa Rosado?
.
R - Essa é uma seara que não queremos entrar, porque na minha opinião não se ganha eleição no tapetão e sim nas urnas, através do voto.
.
H - Apenas a título de suposição, lógico, caso se confirme nas instâncias superiores o indeferimento da candidatura de Fafá Rosado, como caberia ao mesmo partido a indicação do substituto, pergunto: o senhor teria preferência por algum nome do DEM, para tê-lo na condição de adversário?
.
R - Essa questão de foro intimo do DEM. Como não somos candidatos de A ou de B e sim do POVO estamos com o nome lançado para disputar com qualquer cidadão, haja vista que não estamos combatendo pessoas e sim projetos e idéias. Oferecendo a Mossoró um novo modelo de administração voltada diretamente à população mais carente.
.
H - Que mensagem o senhor deixa para o povo de Mossoró?
.
R - Mossoró é uma cidade que ainda não entendeu o que é ser um pólo educacional, onde a miscigenação de culturas tem uma influência marcante no seu futuro. Uma cidade que carece de planejamento a longo prazo sem se esquecer das necessidades imediatas, mas precisando preparar-se para o futuro que a espera, pois algumas de suas matérias primas são de segurança nacional ou matriz energética, tornando-a referencia nesses segmentos. Como tal, não pode ser pensada isoladamente e sim como um centro de influencia catalisadora não só para o Rio Grande do Norte, Paraíba e Ceará, mas para o Brasil.
.
.
Comente esta matéria.
Obrigado pela visita.
.
.

5 comentários:

Anônimo disse...

Herbet, veja como é diferente a visao de RenatoFernandes da de Fafa. Uma pena ele não ser eleito. E o mais preparado.

Marcos Batista disse...

bastante lúcida a visão do vereador/candidato...pena que ele não seja da familia real mossoroense, para chegar ao palácio da resistência...

Anônimo disse...

Um comentário sobre a foto dos candidatos entrevistados: uma foto colorida para um... e uma em P&B para outro. Isso me parece, mesmo que não proposital, uma mensagem subliminar em prol da candidata Fátima Rosado.
Foi minha impressão.

Hugnelson Vieira
hugnelson@oi.com.br

Herbert Mota disse...

Meu caro Hugnelson, infelizmente esta foi a única foto do candidato Renato Fernandes que pude retirar da Internet. Sobre favorecimento, de nossa parte, para a candidatura da prefeia Fafá Rosado, que concorre a reeleição, creio que com uma leitura, mesmo que rápida, pelas postagens desse nosso pretenso blog, vai concluir que não existe mais essa de puxar ou tendenciar o eleitor (em sua grande maioria). Veja o seu caso, por exemplo, que retrata o puro e fiel discernimento sobre as questões políticas da nossa urbe, principalmente pelos nomes postosnotaboleiro da sucessão. Obrigado pelo comentário.

Anônimo disse...

Acredito que as outras candidatas deveriam copiar as idéias desse cara, pois são, de longe, as melhores para todos. Tenho fé que um dia Mossoró tenha a mesma coragem que teve para combater o bando de Lampião e bote pra correr esse bando que está no poder hoje.